A tecnologia está em constante evolução, e por isso, mudando gradualmente a maneira com que as pessoas fazem coisas simples e rotineiras. A robótica e a inteligência artificial, que pareciam algo tão distante, estão mais presentes no nosso dia a dia do que podemos imaginar.

O uso de aspiradores de pó autônomos, de robôs que cozinham até 2 mil receitas, robôs seguranças, assistentes de voz, carros que se dirigem sozinhos já é uma realidade. Crianças e adolescentes de hoje já nascem conectados e sabendo usar tablets e celulares, mas é preciso prepará-los para esse novo campo em franca expansão. Além do mais, o ensino de robótica tem inúmeros benefícios. Confira alguns deles:

Interdisciplinaridade na prática

Um projeto robótico exige dos alunos conhecimentos de diversas áreas para além da matemática e da física. Na construção e reconstrução dele, o estudante precisa entender e organizar os passos que precisa seguir, e as maneiras de resolver problemas que podem surgir.

Para isso vai precisar utilizar diversas áreas do conhecimento, como eletricidade, eletrônica, mecânica, arquitetura, ciência, inglês… É a chamada educação STEAM, metodologia que considera os conhecimentos inter-relacionados como ponto de acesso para guiar a pesquisa do aluno e o seu pensamento crítico.

Tornar a programação fácil

É senso comum achar que programação é algo extremamente difícil e inacessível. E por mais que os computadores estejam presentes no nosso cotidiano, a programação continua sendo um conceito abstrato.

Na aula de robótica, o aluno começa a usar e entender de maneira simples como códigos inseridos no computador podem afetar o mundo real.  Ao introduzir a programação no processo de ensino, o aluno vai aprendendo naturalmente conforme sua evolução, uma vez que alguns robôs são projetados para aumentar a dificuldade aos poucos.

Algumas escolas brasileiras, a exemplo do Colégio Porto Seguro, em São Paulo, estão adotando ferramentas como o Dobot Magician, um braço robótico de mesa voltado para a educação, que desempenha várias funções, como escrita, desenho, impressão 3D.

Estímulo do raciocínio lógico

Quando um projeto de robótica é criado, algumas metas são estipuladas, por exemplo, o robô deve andar para frente, para trás, para direita e para esquerda. E essas funções são cumpridas de acordo com um comando que é dado.

Se por acaso alguma coisa não funcionar, algum problema aconteceu na hora da programação. Por esse motivo é fundamental que uma lógica seja seguida. O raciocínio lógico, dessa forma, é estimulado ao longo de todo o projeto: na criação, na programação, nos testes para ver se a máquina está respondendo e na resolução de problemas que podem vir a acontecer.

Estimula a curiosidade e a criatividade

Montar um robô costuma gerar muito curiosidade. Perguntas como: “O que acontece se eu colocar essa peça aqui?”, “E se eu usar outro material nesse lugar?”, “Será que consigo fazer o robô andar mais rápido?”. Ao tentar encontrar essas respostas, o aluno vai aprendendo por meio da investigação, elaboração de hipóteses e de diversos testes.

Além do mais, a criatividade também é estimulada, pois ele precisa imaginar o que a máquina pode fazer e quais serão os estímulos necessários para ela cumprir aquela função.

Trabalho em equipe

A aula de robótica é uma prática educacional onde normalmente os alunos são divididos em grupos para a realização de um projeto. Para que o resultado final dê certo, é preciso que haja uma troca de ideias entre a equipe, que tarefas e responsabilidades sejam designadas para cada membro do grupo, e que as funções preestabelecidas sejam respeitadas.

Futuro mercado profissional 4.0

Não há dúvidas de que a automação é um caminho sem volta. Milhões de postos de empregos serão eliminados nos próximos anos, em todo o mundo, e os trabalhadores serão substituídos por robôs.

E, de acordo com o relatório do Fórum Econômico Mundial, 65% das crianças que estão na escola primária hoje irão realizar trabalhos que ainda não existem. Prevê-se que a robótica e a inteligência artificial levarão à criação de cerca de 2 milhões de novos empregos até 2025.

Mas a economia 4.0 demandará alto nível de conhecimento técnico e de desenvolvimento intelectual. Por isso, é preciso começar a pensar na formação das novas gerações de brasileiros desde cedo.

Desmistificar o universo da robótica

Muitas pessoas ainda tem uma visão bastante negativa sobre a robótica, reforçada por filmes com robôs assassinos ou por matérias publicadas que dizem que os robôs vão acabar com os empregos. Ensinar o que as máquinas podem e não podem fazer, mostrar como elas funcionam, e esclarecer qual o papel que a robótica vai ter inserida na sociedade são maneiras de mudar essa visão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here