A construção civil não cresce há cinco anos. O período de recessão econômica do Brasil impactou duramente o setor, que depende essencialmente da produção interna para se desenvolver. Porém, as perspectivas para 2020 são animadoras: segundo estimativas do presidente da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), José Carlos Martins, este ano deve ter um ganho de 2% em relação ao período anterior – índice ainda baixo, mas mais expressivo que os anteriores.

Sabe-se que, por se tratar de um setor gigantesco, que representa 10% do PIB (Produto Interno Bruto), qualquer mudança é lenta e burocrática. Quem decide empreender na construção civil sabe que enfrentará desafios, mas, felizmente, tenho observado essa mudança de mindset.

Em um cenário de crescimento tímido, é ainda mais importante investir na modernização do setor. Ela tem sido a responsável por diminuir os custos das obras, informatizar as atividades e, de modo geral, construir uma ponte para o progresso, assim como vem acontecendo em diversas outras áreas. Confira cinco tecnologias que estão revolucionando a construção civil:

Drones

Os drones são ótimos instrumentos para chegar a regiões de difícil acesso. Com um custo baixo, essas pequenas aeronaves podem ajudar a fazer a inspeção de obras. Imagine que um prédio apresenta rachaduras. Hoje, não é mais necessário mobilizar uma equipe e um guindaste para fazer a análise das fissuras: basta utilizar um drone para fazer as imagens.

Impressão 3D

Não, ainda não é possível fazer sua casa do zero, com uma impressora. Mas há muitas possibilidades com essa tecnologia. Por exemplo: o engenheiro mecânico Robert Flitsch, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, desenvolveu uma impressora 3D robótica capaz de preencher e restaurar fissuras de rodovias. Além disso, já se mostrou muito útil na prototipagem de obras.

Nanotecnologia

Pode não fazer sentido em um primeiro momento, mas a nanotecnologia foi uma importante aliada no desenvolvimento de materiais mais resistentes. Dois exemplos incríveis são a utilização de nanotubos de carbono na produção de cimentos e concretos, que aumenta a resistência às tensões exercidas sobre eles, e a criação de vidros autolimpantes, que se aproveitam da água da chuva e dos raios ultravioleta para manter a superfície sempre limpa. Demais, não?

Big Data

A informação é a maior tendência do século XXI. E a construção civil é um setor que precisa ser informatizado. Iniciativas como a da Prospecta Obras fazem o setor avançar. Com ela, é feito o mapeamento de todas as obras em andamento no país, permitindo, assim, avaliar as regiões com demandas de equipamentos, materiais de construção, ou mesmo onde há déficit habitacional.

BIM (Building Information Modeling)

O BIM é uma das tecnologias mais modernas no que diz respeito a armazenamento e compartilhamento de dados. Com ele, é possível integrar os dados de todas as etapas de uma obra de forma automática, permitindo uma melhor visualização do projeto e mais amplitude na análise das estruturas.

Sem dúvidas, são tempos de grandes oportunidades para a construção civil. Todas essas tecnologias têm proporcionado importantes avanços no setor e devem continuar se aprimorando com o passar dos anos. Podemos ter boas perspectivas para o ano, desde que o mercado esteja aberto às inovações.

Um ótimo exemplo é como a ANAMACO, uma das mais importantes entidades do setor, organizou uma frente parlamentar para defender os interesses das empresas do segmento e investiu em uma plataforma com Big Data para mapear as obras do país. É desta forma que iremos avançar!

Wanderson Leite é fundador das empresas ProAtiva, app de treinamentos corporativos digitais, e Prospecta Obras, plataforma de relacionamento do segmento de construção civil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here