Não há dúvida de que a pandemia mudou para sempre nossa perspectiva do mundo, nos obrigando a reexaminar nossa vulnerabilidade aos fenômenos naturais.

Muitos estão atribuindo o impacto da pandemia à combinação de urbanização, globalização e densidade populacional. Outra consequência dessas realidades combinadas é o aumento das emissões de CO2 e outros efeitos ambientais negativos.

Apesar da necessidade de focar nas circunstâncias imediatas, as prioridades fundamentais não mudaram. O principal desafio da nossa geração continua sendo a mudança climática. Porque por trás dessa onda de Covid-19 está um tsunami de mudança climática vindo na nossa direção.

A boa notícia é que somos a geração que sabe disso. Somos a geração, e provavelmente a única geração, que pode mudar a trajetória das emissões de carbono e, portanto, das mudanças climáticas. Em um tempo no qual algumas pessoas veem a ecologia e a tecnologia como opostas, a realidade é que a tecnologia nos permite unir progresso e sustentabilidade, levando a uma resiliência mais forte. Existem duas tecnologias principais que ajudam a resolver a equação das mudanças climáticas: o digital e a eletricidade.

Sustentabilidade para um futuro industrial resiliente

Um futuro inteligente

A primeira tecnologia que está transformando a humanidade é a digital. Pense em como as tecnologias digitais revolucionaram a forma como trabalhamos e vivemos juntos. O primeiro episódio da internet foi sobre conectar pessoas com pessoas. O próximo será sobre revolucionar a maneira como vivemos e nos conectamos com o ambiente.

Será uma questão de máquina para máquina e de pessoas para máquinas. Isso é possível pela combinação da Internet das Coisas (IoT), que conecta tudo ao nosso redor, e Big Data, que trata de coletar, agregar e analisar grandes quantidades de informações em data centers para fornecer insights importantes. E, hoje, a capacidade de treinar máquinas e algoritmos para extrair sentido de todos esses dados é virtualmente ilimitada.

A digitalização já está criando um futuro mais desejável – uma existência centrada no ser humano com casas e edifícios inteligentes, manufatura inteligente, infraestrutura inteligente e cidades inteligentes. Essas inovações usam dados e tecnologias digitais para nos ajudar a compartilhar e conservar melhor os recursos que estamos consumindo.

Um futuro verde

A segunda tecnologia, que provavelmente é menos intuitiva porque já existe há muitos anos, é a eletricidade verde. Pense em energia solar, microrredes, prédios net-zero e veículos elétricos. A eletricidade é a única forma de descarbonizar a energia. Então, prepare-se para um mundo que vai ser muito mais elétrico. Mas, daqui para a frente, não vai ser a mesma eletricidade. Vai ser eletricidade renovável. O futuro é verde.

Quatro chaves para a sustentabilidade

Na Schneider Electric, temos trabalhado com muitos grupos de especialistas e outras empresas para encontrar a equação que nos leva de onde estamos para o futuro sustentável e resiliente de que precisamos. Vemos quatro variáveis simples na equação:

Digital: podemos ser muito mais eficientes em todo lugar, graças à tecnologia digital. Aplicando-a, seja em edifícios inteligentes, manufatura inteligente ou cidades inteligentes, podemos alcançar mudanças significativas em eficiência em relação ao que somos hoje.

Circular: trata-se de garantir que tudo o que fazemos cultive uma economia mais circular do que a que temos.

Elétrica: nos próximos anos, a proporção de eletricidade em tudo dobrará. Falamos muito sobre eletricidade, mas ela é hoje apenas cerca de 20% da energia que consumimos. Em 20 anos, vai dobrar para 40%.

Renovável: hoje, a eletricidade é apenas 6% renovável. Em breve, será 40%.

E não se trata de esperar que uma dessas variáveis se torne presente para começar a focar em outra. Devemos trabalhar com todas elas em paralelo. Não podemos esperar, porque tudo o que construímos hoje estará aqui por muitos anos. Se quisermos enfrentar as mudanças climáticas, devemos implementar todas essas mudanças agora.

Sustentabilidade cria resiliência

Tanto a crise pandêmica quanto as mudanças climáticas são as principais ameaças à sociedade. Agora, mais do que nunca, precisamos que nosso mundo seja sustentável. Precisamos que a humanidade seja resiliente. E precisamos manter o foco em acelerar o momento que já estava em andamento para criar um futuro resiliente e sustentável.

O Covid-19 não mudou o fundamental. Em vez disso, enfatizou a necessidade de agilidade e adaptação. Numa economia sob pressão,  em um mundo fragilizado, ele é um apelo à conscientização, à eficiência e à sustentabilidade. Todas as empresas podem fazer melhor e ser mais sustentáveis na forma de conduzir seus negócios.

Artigo de Carlos Urbano, diretor de Industrial Automation da Schneider Electric Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here