Especializada em soluções inovadoras com base, principalmente, em IOT (Internet das Coisas), mas usando também IA (Inteligência Artificial), Big Data e Análise Preditiva, a startup brasileira Musca tem como cliente o maior condomínio residencial da Colômbia.

Estabelecido na capital do país, o complexo Parque Central El Tintal possui 2.500 apartamentos e 10 mil moradores que já estão se beneficiando da gestão de elevadores realizada pela solução da empresa que tem proporcionado redução de falhas e no custo de manutenção das máquinas.

A previsão é que nos próximos três anos o número de elevadores geridos pela startup chegue a 15 mil somente na América Latina.

Desafio de gerenciar mais de 90 máquinas

A gestão de elevadores em um condomínio residencial tão grande como o Parque Central El Tintal é bastante complexa. São mais de 90 máquinas em 40 torres que não podem parar, devido ao tamanho dos edifícios e à quantidade de moradores que dependem deste meio de locomoção durante todo o dia.

“O cliente precisava encontrar uma solução que garantisse o perfeito funcionamento e a alta disponibilidade dos equipamentos, conservando seu melhor estado. A saída foi investir no que temos de mais moderno hoje neste sentido, que é uma combinação entre IOT (Internet das Coisas), IA (Inteligência Artificial), Big Data e Análise Preditiva”, explica Mário Santos, CEO da Musca.

Com a solução Musca Lev, os administradores do Parque Central El Tintal podem acompanhar em tempo real através de painéis de fácil interface o funcionamento de todos os elevadores, inclusive via celular.

Uso da tecnologia antecipa os problemas

“Cada vez que existe um problema, como uma parada, por exemplo, o sistema é ativado para que a solução técnica seja aplicada automaticamente, sem intervenção humana. O histórico de eventos é a base para prevermos problemas e solucioná-los antecipadamente sem que os usuários se quer percebam”, esclarece Santos.

O resultado da Musca Lev é uma redução de 90% das falhas e 99% no tempo de atuação técnica para resolver problemas nos elevadores com chamados resolvidos pela plataforma à distância por meio de Inteligência Artificial.

“Estamos maravilhados com esta solução. Recentemente, tivemos um problema com uma máquina que foi resolvido em poucos minutos pela equipe da Musca em São Paulo. Rápido e eficaz, como precisamos para manter tudo sob controle em nossos clientes”, afirma Rafael Martinez, Presidente da PH Holdings, distribuidor da solução para América Latina e empresa de manutenção do Parque Central El Tintal.

Em 2018, seu primeiro ano de atuação, a Musca cresceu 50% mais do que o esperado, conquistou grandes clientes e atraiu a atenção de investidores e governos internacionais. Para 2019, os planos da empresa continuam ousados em um mercado que promete avanços exponenciais.

Em uma análise entre 160 startups, da plataforma de Corporate Venture InovaCity, a Musca ficou em 3º lugar na categoria Potencial de Negócios e em 9º na classificação geral.

Com software e hardware próprios, a startup atua hoje no Brasil e América Latina nos segmentos de gás, energia, água e elevadores. Suas soluções tornam mais fácil, eficiente, sustentável e segura a gestão de negócios, edifícios, comunidades e cidades.

Como resultado, há redução de tempo, de uso de mão de obra técnica e custo na prevenção, na solução de problemas e na manutenção de máquinas diversas, como elevadores, escadas rolantes e bombas de água, por exemplo.

Em poucos meses, suas soluções conquistaram o mercado brasileiro e internacional pelo seu nível de excelência. Clientes como a Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (Usinas de Angra dos Reis), Prefeitura de São Paulo, Belo Horizonte, redes de supermercados e lojas de varejo obtiveram economia de até 30% com a implantação das soluções da Musca.

“Estamos organizando a instalação de um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento na Europa no primeiro semestre de 2019, provavelmente na França, a convite do próprio país que está investindo muito em empresas da nossa área. Devemos iniciar uma joint-venture na Alemanha e estamos analisando ainda a possibilidade de uma estrutura no Reino Unido, que também se interessou em viabilizar a ida da Musca para lá. Com tudo isso, esperamos crescer pelo menos 10 vezes este ano”, finaliza Santos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here