A Schneider Electric inicia a utilização de caminhões elétricos para realizar suas entregas, inicialmente, na Grande São Paulo e na Região Metropolitana de Campinas, localidades de maior demanda para a empresa, o que corresponde a um raio de atendimento de 250 quilômetros.

O lançamento faz parte da estratégia da Schneider Electric para ter 100% da frota com mobilidade elétrica até 2030 no Brasil. “Anteriormente, já utilizávamos bicicletas e carros elétricos para as entregas. Estamos expandindo a estratégia de sustentabilidade, pois com a eletricidade utilizamos a  tecnologia para que o veículo percorra a mesma distância com emissão de até 50% menos de CO2, algo impossível com gasolina ou etanol”, explica Isabel Matos, diretora de serviços logísticos da Schneider Electric para América do Sul.

Com essa mudança, a empresa pretende reduzir a emissão de CO2 em 18 toneladas ao ano, direcionando 45% do peso bruto entregue no Estado de São Paulo para entregas sustentáveis, aproximadamente 3 mil por mês, com responsabilidade ambiental ao combater os efeitos das mudanças climáticas.

Além da sustentabilidade, outras importantes características dessa iniciativa são: autonomia de até 250 quilômetros, redução de até 30% em custos operacionais e disponibilidade de mais de 200 estações de carregamento da Schneider Electric, denominadas EV Link, no espaço geográfico em que os caminhões elétricos vão circular.

Schneider Electric amplia estratégia de sustentabilidade com uso de caminhões elétricos

Reforço do compromisso com a sustentabilidade do planeta

A partir dessa ação, a operação brasileira da Schneider Electric está reforçando o posicionamento global como empresa mais sustentável, título que recebeu no início do ano pela Corporate Knights, empresa canadense de análise e pesquisa.

Esse reconhecimento também pode ser representado pelo Projeto Carbono Zero, uma parceria com seus mil principais fornecedores de todo o mundo — que representam 70% das emissões de carbono da companhia — para reduzir pela metade as emissões de CO2 das operações até 2025.

O Carbono Zero também é um passo concreto no sentido de limitar o aumento das temperaturas médias globais a 1,5° C ou menos até 2100, conforme previsto no Acordo de Paris.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here