A Indústria 4.0 chegou a pouco tempo aqui no Brasil, mas nos Estados Unidos e em muitos países da Europa, já é uma realidade cotidiana. Por exemplo, em 2006, a Alemanha realizou a final da Copa do Mundo em um estádio que só tinha dois funcionários, e esse plano maluco funcionou perfeitamente bem, inclusive durante essa partida, quando bilhões de pessoas estavam de olho no campo e atentos a cada gol.

Não se trata apenas de segurança ou façanha, mas de tecnologia de ponta: o estádio Olympiastadion, em Berlim, tem capacidade para mais de 74 mil espectadores, e é um exemplo de Indústria 4.0, em que todos os sistemas, desde iluminação, ar condicionado, abertura e fechamento de portões, entre outros, são automatizados e integrados.

No Brasil, este ano, a Indústria 4.0 foi introduzida por meio de dezenas de eventos, feiras, palestras e workshops, o que mostra que esse assunto ainda é muito novo. Muitos projetos estão saindo do papel, mas para que a quarta revolução industrial se concretize no Brasil, alguns aspectos precisam ser amadurecidos,como o treinamento de equipes para se adequar a este novo cenário.

Talvez agora seja o melhor momento para a indústria brasileira dar esse passo em direção à quarta revolução. Pois isso pode ser propício para criar estratégias em alternativas que podem ser adotadas a fim de evitar que outras greves ou paralisações tenham um impacto tão grande na produção industrial do país todo. E o conceito da Indústria 4.0 pode contribuir muito nisso.

A automação da indústria pode proporcionar custos mais baixos, maior eficiência das máquinas e equipamentos, mais previsibilidade em relação a panes e problemas em geral nos parques industriais, o que pode oferecer relatórios mais detalhados e precisos, que contribui muito para a tomada de decisões estratégicas.

O melhor caminho para que o Brasil alcance a quarta revolução industrial é a introdução de projetos de Indústria 4.0 nas empresas de menor porte que por terem estruturas mais enxutas, conseguem inovar mais e de forma mais rápida, facilitando ainda a adaptação de novas equipes aos processos.

Outra coisa, precisamos criar um tipo de força-tarefa envolvendo toda a sociedade, porque assim diversos pontos podem ser melhorados para permitir que as inovações ganhem escala na indústria brasileira.

Para isso acontecer seria necessária uma melhoria da qualidade da internet no país, uma melhora do ambiente regulatório, o aprimoramento e expansão da mão de obra técnica especializada nos nichos necessários e a solução de questões tributárias relacionadas ao setor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here