Com a tecnologia evoluindo todos os dias, vemos uma transformação do que antes era desconectado e isolado para um mundo integrado, mais eficiente e inteligente. Isso faz com que cresça mais o desafio de fornecer energia elétrica para todos com qualidade e confiabilidade.

Tal desafio está sendo confrontado com a crescente utilização de redes de geração e distribuição descentralizadas e a implantação do IoT (Internet of Things ou Internet das Coisas) para ajudar a controlar e monitorar estes sistemas.

Através da implementação de dispositivos conectados na rede de distribuição de energia elétrica, conseguimos ter um monitoramento em tempo real, que quando associado a softwares analíticos e lógicas de comando, resulta na redução de perdas técnicas, maior disponibilidade da rede elétrica e qualidade de energia.

Dentro de tal cenário, a companhia de distribuição elétrica do Rio de Janeiro, LIGHT, colocou em operação dois projetos pilotos de sistemas de self-healing (auto restauração) em sua área de concessão utilizando os sistemas e produtos da Schneider Electric. Estes projetos contemplam tecnologias semi-centralizadas e descentralizadas, e englobam um sistema de comunicação com rádio em TCP/IP, spread spectrum (espalhamento espectral), lógicas de self-healing em concentrador de dados e nos religadores, estudos de enlace, instalação e comissionamento.

As soluções estão alinhadas com o nível de qualidade que a Light impõe para o seu sistema de distribuição, buscando melhoria dos indicadores coletivos de continuidade da distribuidora de energia: DEC – Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora – e FEC – Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora.

O sistema semi-centralizado foi implantado em três linhas da rede de distribuição de diferentes subestações, onde estão instalados dez equipamentos, sendo oito religadores U27 e duas chaves RL27 todos de fabricação Schneider Electric. A Light realizou todos os estudos necessários de forma a definir a melhor localização dos equipamentos, levando em consideração a capacidade de transferências de cargas entre os alimentadores, deixando o sistema preparado para que, em um momento de falta de energia, transfira as cargas isolando o trecho defeituoso e minimizando os impactos negativos na qualidade de fornecimento.

O sistema descentralizado foi implantado em duas linhas da rede de distribuição, com três religadores e tecnologia spread spectrum. A decisão de transferência das cargas está embarcada nos equipamentos através das lógicas de proteção, não sendo necessárias implementações adicionais, precisando haver apenas comunicação entre os mesmos. Por ser um sistema mais simples, possui limitações quanto às quantidades de alimentadores em um mesmo sistema. A grande vantagem desse sistema, é que mesmo com a perda de comunicação com o centro de operação, os equipamentos terão a capacidade de realizar as manobras necessárias.

Conforme Luiz Carlos Direito, gerente de tecnologia, medição e automação da Light, “A implementação destas duas soluções permitirá que a Light obtenha subsídios mais concretos, baseados nos resultados obtidos, de forma a nortear as decisões futuras e possibilitar uma tomada de decisão mais assertiva. De modo geral, as decisões deverão levar em consideração as características particulares das redes de cada distribuidora, optando por uma ou ambas soluções em sua área de concessão”.

Outra empresa que apostou no IoT e nas soluções conectadas, foi a concessionária de energia elétrica do Vietnam, Thu Thiem Power Company, que adotou uma solução descentralizada de distribuição elétrica inteligente com self-healing para garantir energia elétrica confiável em uma zona industrial importante, chamada Saigon High Teck Park, onde encontram-se mais de 40 empresas de alta tecnologia.

Para a Saigon High Teck Park, foram utilizadas 13 interfaces de controle remoto T200 junto ao software Easergy SCADA L500 da Schneider Electric, em dois sistemas de loop, permitindo a visualização do status da rede de média tensão e controle remoto dos painéis RM6 da Schneider Electric.

Como resultado, a Thu Thiem Power Company obteve um design rápido com simples implementação e implantação, modernização com um excelente custo x benefício utilizando produtos de prateleira (produção em série), flexibilidade, fácil configuração, escalabilidade, replicação e isolação de faltas com restauração de serviço em menos de 1 minuto para 66% dos clientes.

 

Material disponibilizado por Schneider Electric.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here