Artigo aponta os benefícios das tecnologias da Indústria 4.0 para o setor produtivo. Mecanização e uso de dados em larga escala estão entre suas principais vantagens.

Os fabricantes estão sob pressão constante. O investimento em tecnologias precisa ser permanente. Eles necessitam diminuir o desperdício enquanto aumentam o tempo de atividade, o rendimento e a qualidade para continuarem a competir de forma eficaz.

Antigamente, acostumados a interrupções na produção por diversos motivos, nos últimos anos, as práticas de fabricação enxuta e a automação aumentarão a pressão sobre as empresas do setor fabril, chegando a fazer algumas delas a sair do jogo.

A próxima fase disruptiva na fabricação já está em andamento. A Indústria 4.0 baseia-se nas três fases anteriores de industrialização – mecanização, produção em massa e controles.

As tecnologias 4.0 mudam tudo

É um ambiente de produção inteligente, habilitado por uma plataforma integrada de sistemas de dados corporativos, a Internet das coisas (IoT) e a computação em nuvem.

O Indústria 4.0 disponibiliza tecnologias que fornecem informações sobre variáveis ​​ou anomalias que podem causar problemas de desempenho, como falhas de máquinas, gargalos ou desperdícios.

Essa possibilidade está transformando completamente o setor manufatureiro, mudando o relacionamento entre fabricantes e consumidores.

Trabalhando para a perfeição na fabricação

Como um conceito, a Indústria 4.0 abre a possibilidade de “produção perfeita”, na qual os desafios típicos no setor de manufatura – falhas de máquinas, defeitos de produtos, sucata – são eliminados, ajudando os fabricantes a operar da forma mais eficiente possível.

Essa mudança leva os fabricantes a se tornarem tão eficientes pois não dependem mais de fontes de baixo custo para se manterem competitivas.

Ao aproximar a produção de sua base de clientes, eles não apenas reduzem os custos de transporte, o consumo de energia e os riscos inerentes à cadeia de fornecimento, como também podem responder mais rapidamente às demandas do cliente. É um ganha-ganha para o fabricante e o consumidor.

Construindo a Indústria 4.0 em suas estratégias e tecnologias, os fabricantes também estarão preparados para o futuro em sua organização. Os consumidores estão cada vez mais preocupados em comprar produtos de empresas que possuem sólidas políticas de responsabilidade social corporativa (RSC).

Ganhos na eficiência

Organizações que possam demonstrar baixo consumo de energia ou reduzir a emissão de carbono, além de ter melhores políticas de bem-estar da equipe, serão as que já competem mais efetivamente no mercado.

Além disso, o Indústria 4.0 vai além da criação de eficiências. Também permite que os fabricantes criem produtos mais personalizados, o que pode ajudá-los a se destacar em um mercado lotado e a aumentar a fidelidade e a satisfação entre sua base de clientes.

Os early adopters irão colher os benefícios

As organizações que adotam o Indústria 4.0 se beneficiam de uma vantagem significativa de propriedade de dados sobre seus concorrentes. Dê uma olhada nos principais gigantes da área de tecnologias, como Amazon, Facebook e Google. Todos detêm monopólios em dados de consumidores, tendo construído seus modelos de negócios em “poços de informação”.

Os fabricantes têm um ambiente rico em dados e se conseguirem imitar os gigantes da tecnologia e dinamizar sua estratégia em direção à análise, para aproveitar ao máximo essas informações, eles poderão explorar verdadeiramente o maior valor do Indústria 4.0 para criar mais vantagens competitivas através da produção perfeita.

O papel da inteligência artificial e aprendizagem de máquina na Indústria 4.0

O gerenciamento efetivo de dados sustenta uma tecnologia que moldará o futuro da manufatura: Inteligência Artificial (IA). Quanto mais computadores de conjuntos de dados forem alimentados, mais eles poderão observar tendências, aprender e tomar decisões que beneficiem a organização.

Essa automação ajudará os fabricantes a prever falhas com mais precisão, detectar e antecipar problemas e prever cargas de trabalho.

Para integrar com sucesso a IA e seu aprendizado no fluxo de trabalho, os fabricantes devem construir bases tecnológicas robustas. Isso significa criar uma arquitetura big data desenvolvida especificamente para reunir dados de sistemas distintos, como o ERP (enterprise resource planning), além de sistemas de execução de manufatura e softwares de gerenciamento de qualidade.

Para maximizar as muitas oportunidades da Indústria 4.0, os fabricantes precisam construir um sistema com toda a jornada evolutiva em mente, pois a produção perfeita requer colaboração em toda a cadeia de suprimentos.

Willem Sundblad é o CEO e cofundador da Oden Technologies , uma empresa industrial da Internet das Coisas que oferece uma solução poderosa para os fabricantes analisarem e otimizarem a produção.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here