A Blockchain é uma tecnologia que permite que registros de dados e informações deixem de ficar armazenados em apenas um local e sejam distribuídos por diversos computadores, por meio da internet, assegurando o combate à diversos tipos de fraude. Embora, em termos de número de aplicações, o setor financeiro seja o principal usuário da tecnologia, existem diversas iniciativas que merecem atenção.

Diante deste cenário, a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) tem apoiado soluções e iniciativas capazes de contribuir para a implementação desta ferramenta. A Blockchain será um dos assuntos em destaque na oitava edição do “Fórum RNP”, que será realizado entre os dias 26 e 28 de agosto, em Brasília/DF.

O painel sobre Blockchain acontecerá no dia 27, às 9h, na sala Arena Fórum, e vai debater o uso da tecnologia no Brasil e no mundo, focado em aplicações, infraestruturas das redes e a interoperabilidade.

Desta forma, a RNP pretende promover uma discussão sobre desafios de governança, regulação e uso da plataforma para valoração das permutas de ativos entre parceiros de negócios.

Segundo Fabíola Greve, organizadora do painel, diversos países estão organizando grupos de interesse, discussões e pesquisas para fazer evoluir a tecnologia e é essencial que o Brasil também construa uma aliança sólida em torno do uso da ferramenta.

‘‘Queremos abordar a Blockchain aplicada fora do mercado financeiro e levar outras aplicações possíveis, como nas áreas de ciência, saúde, arte, governo e, assim, atuar além das criptomoedas’’, pontua Fabíola Greve. 

O ato de dissociar processos burocratizados passa por mudanças estruturais e abre caminhos para novas formas de colaboração. A etapa de descentralização já deu certo no sistema financeiro. E é justamente o debate sobre a utilização da ferramenta, além do mercado financeiro, que Alexandre Barbosa, pesquisador em identidades digitais em Blockchain no Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS), promoverá durante o encontro.

‘‘A Blockchain está em fase de ganhar força novamente graças à Libra, um criptoativo que será lançado em 2020 pelo Facebook e seus parceiros. É hora de pensarmos de forma multidisciplinar e multissetorial o plano de ação e a infraestrutura nacional da Blockchain para influenciarmos diretamente no desenvolvimento da identificação da era digital no Brasil’’, reforça Barbosa.

Reais benefícios da implementação de uma Blockchain 

O relatório “Blockchain para aplicações de interesse público”, do ITS, ainda aponta que as tecnologias distribuídas permitem redução de custos e de burocracia, além do aumento da confiabilidade e eficiência em sistemas de maneira abrangente. Além disso, a implementação do modelo descentralizador estabelece a promoção de transparência, segurança e accountability, e, por isso, reduz fraudes e corrupção.

Outro fator que fomenta o entusiasmo acerca da tecnologia é o modelo escalável. Redes como a Blockchain têm um grande potencial de alcance com ganhos de escala crescentes e custos decrescentes, conforme o tamanho de suas estruturas. Isso quer dizer que estruturas de redes livres e abertas são facilmente replicáveis e expansíveis, com baixo investimento.

A compreensão de tais aspectos abre espaço para que novas oportunidades de negócio sejam geradas. A inovação, aos poucos, emerge em setores atualmente predominados pela centralização, burocracia ou as altas despesas de operação. Quem sai ganhando é a sociedade como um todo, a medida em que novos serviços baseados na tecnologia Blockchain surgem.

Mais informações no site do evento: https://forum.rnp.br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here