A IBM anunciou recentemente uma grande expansão de sua rede global de nuvem, com planos de lançar a primeira região de IBM Cloud (Multizone Region) na América Latina até o final de 2020. Localizada no Brasil, a nova região de IBM Cloud oferecerá aos clientes mais opções de serviços para ajudá-los a implementar rapidamente arquiteturas e aplicações de missão crítica em ambientes de nuvem híbrida.

Localizada em São Paulo, Brasil, a nova região de IBM Cloud será projetada para fornecer aos clientes um conjunto consistente de serviços de nuvem pública IBM, desde infraestrutura até serviços de plataforma, como inteligência artificial (IA).

Ela ajudará a ampliar localmente os recursos de recuperação de desastres, interconectando três zonas de disponibilidade distintas – cada uma delas contendo refrigeração, rede e energia independentes – dentro da mesma região.

A nova região na América Latina trará o portfólio completo de serviços de IBM Cloud, que inclui recursos de IBM Watson, blockchain, IoT e analytics, entre outros. Um exemplo é o IBM Cloud Kubernetes Service, que oferecerá clusters de Kubernetes entre as zonas de disponibilidade, simplificando a implementação e gerenciamento de aplicativos em contêineres com alta disponibilidade.

À medida que as companhias na América Latina e no mundo caminham para o próximo capítulo de sua reinvenção digital, 80% de suas cargas de trabalho de missão crítica – como por exemplo cadeias de suprimento e sistemas bancários – ainda precisam ser movidas para a nuvem.

Cada vez mais, organizações precisam integrar infraestrutura local (on-premises), nuvens privadas e públicas para implementar uma estratégia de cloud híbrida.

Para isso, é necessário garantir uma arquitetura otimizada para que as aplicações possam ser executadas de maneira eficiente em cada um desses ambientes (público, privado e local).

“Conforme as organizações aumentam seu ritmo de inovação para se manterem competitivas, elas buscam ambientes híbridos, multicloud e de código aberto que possibilitem uma nova onda de inovação digital em novos projetos e modernização de seus sistemas legados. A IDC espera que, até 2022, aproximadamente metade do PIB latino-americano será digital.”, afirmou Alejandro Florean, vice-presidente de consultoria da IDC América Latina.

“A iniciativa da IBM em expandir seus investimentos em data centers no Brasil representa um importante passo rumo à consolidação da infraestrutura necessária para o avanço da economia digital. Também reforça, de maneira inequívoca, que as transformações pelas quais o Brasil vem passando estão atraindo mais investimentos para o país, materializando a aposta no presente e no futuro do nosso país”, comentou Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

“Nosso contínuo investimento em nuvem reflete que os clientes estão cada vez mais buscando ambientes de nuvem híbrida que ofereçam acesso a tecnologias de ponta, incluindo IA, analytics, IoT e blockchain para aumentar a competitividade”, disse Tonny Martins, gerente geral da IBM no Brasil.

“As empresas no Brasil buscam obter maior controle de seus dados diante de regulamentações mais rígidas de conformidade e proteção, e a IBM oferece os recursos em nuvem que permitem inovar e aproveitar os dados de todas as fontes em qualquer ambiente híbrido, público e multicloud”, completou o gerente geral da IBM no Brasil.

“O mercado de nuvem está sendo redefinido como híbrido. As empresas estão transferindo mais aplicações de negócios para a nuvem, buscando melhorar a eficiência e manter a segurança enquanto gerenciam dados, serviços e fluxos de trabalho em um ambiente híbrido e multicloud”, disse Ana Paula Assis, gerente geral da IBM América Latina. “A nova região de IBM Cloud está sendo desenhada para oferecer um portfólio de infraestrutura e serviços que entrega os melhores benefícios da nuvem híbrida aos clientes na América Latina.”

Clientes aceleram sua jornada para a nuvem

Negócios de todos os tamanhos estão migrando cargas de trabalho críticas para a IBM Cloud a fim de conduzir o próximo capítulo da reinvenção digital. Isso inclui empresas como a BRF e a Elaw que adotaram a IBM Cloud para gerar eficiência em custos de TI, flexibilidade nas operações de negócio e tirar maior proveito de seus dados por meio da inteligência artificial.

A BRF, uma das maiores empresas de alimentos do mundo, migrou mais de 70% de suas cargas de trabalho para a IBM Cloud nos últimos anos, permitindo a integração de seus sistemas de missão crítica para dar suporte à expansão internacional dos negócios.

Com mais de 40 unidades de produção atualmente no Brasil, Emirados Árabes Unidos, Malásia e Turquia, a BRF conseguiu reduzir os custos de TI com IBM Services e escalar suas operações para vários países, aproveitando a presença da rede global da IBM Cloud.

A Elaw, um dos principais fornecedores brasileiros de soluções de tecnologia jurídica no país, fornece serviços baseados em inteligência artificial. Atualmente, ao usar os serviços do IBM Watson Natural Language Understanding e Natural Language Classifier na IBM Cloud, a Elaw pode identificar as reivindicações mais recorrentes em processos trabalhistas, entender o que mais influencia em cada tópico e, em seguida, recomendar qual abordagem jurídica pode ser mais eficaz para lidar com esse caso e melhorar o provisionamento de recursos financeiros em caso de perda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here