A digitalização e a robotização estão cada vez mais presentes no dia a dia das empresas em todo o Brasil. Afinal, tornam tudo mais prático, reduzem custos e migram a mão de obra para atividades estratégicas, que envolvem planejamento e criatividade, o que contribui diretamente para a inovação e o aumento da competitividade no mercado.

Empresa aposta em robôs para hiperautomatizar processos

Somente em 2020, quase 90% das empresas instaladas no país realizaram alguma iniciativa voltada à transformação digital, conforme apontou o Índice de Transformação Digital da Dell Technologies 2020 (DT Index 2020).

Diante desses números, o objetivo da startup Run2Biz é ajudar empresas a digitalizarem os fluxos de trabalho e operações. A empresa vem apostando na oferta da hiperautomação de processos e tarefas para expandir sua atuação em toda a América Latina.

Chegando à marca de um milhão de usuários, conquistados em plena pandemia de Covid-19, a tecnologia é totalmente adaptada à nova realidade de trabalho, que deve se firmar mesmo depois do período pandêmico, o home office.

Trata-se de garantir que qualquer tarefa, complexa ou não, seja realizada na metade do tempo, sem erros ou equívocos – que ocorrem nas mãos humanas –, com foco em aumentar a produtividade e a escalabilidade da empresa.

“E, antes que as pessoas mencionem que haverá crescimento dos índices de desemprego, pelo contrário: a novidade fará com que os colaboradores possam atuar em atividades mais estratégicas para o negócio”, garante Emauri Gaspar, cofundador da Run2Biz.

A meta é atingir o crescimento de 60% no mercado latino-americano, concorrendo diretamente com gigantes globais, como ServiceNow, BMC e Cherwell. Número bem audacioso, segundo Emauri Gaspar, já que a empresa passou por um momento extremamente delicado por conta da pandemia.

“A empresa passou por uma reestruturação profunda, a partir de muito planejamento, investimento em tecnologia de ponta e contratação de equipe especializada. E, então, se relançou, com novos ideais, propostas e produtos, apenas dois dias antes do lockdown ser declarado na maior metrópole do Brasil. Ficamos atordoados no início, mas encontramos formas de trabalhar baseadas em nossa própria solução. Fomos aos poucos ganhando mercado e hoje atendemos empresas grandes em todo o Brasil”, diz Gaspar.

Empresa aposta em robôs para hiperautomatizar processos

A solução tecnológica mais procurada na Run2Biz é o 4Biz Service Management, uma plataforma criada para gerenciar equipes, por meio de fluxos de trabalho integrados, personalizados e automatizados, aumentando a eficiência para o negócio dos clientes, inclusive com a utilização de Inteligência Artificial.

“Procuramos resolver um problema unânime em todas as empresas, independentemente do porte e do segmento: as responsabilidades costumeiras, as quais drenam muito tempo de pessoal, consumindo dinheiro e energia. Tais soluções de gerenciamento de serviços e tecnologia ágil têm por propósito simplificar, automatizar e gerar valor significativo nas operações do dia a dia das organizações”, ressalta Gaspar.

O resultado da plataforma tem sido tão positivo que mal foi lançada e já rendeu parcerias estratégicas, como com a Ingram Micro, do Canadá, a maior distribuidora e fornecedora mundial de produtos e serviços em tecnologia da informação (TI).

Efetivamente, a plataforma 4Biz, de Information Technology Service Management (ITSM), que significa Gerenciamento de Serviços de TI, já foi certificada em 16 processos ITIL pela PinkVERIFY, a mais importante do mercado, o que assegura que as boas práticas de mercado estão contempladas.

A plataforma oferece uma experiência única aos usuários nas mais diversas aplicações de negócios e, ainda, na gestão de infraestruturas, mitigando riscos nas operações de Network Operations Center (NOC), ou melhor, no Centro de Operação de Rede, que é o lugar onde o gerenciamento das redes de comunicação pública ou privada é centralizado.

“Vale lembrar que essas ameaças, se não forem controladas, podem trazer prejuízos às finanças, à imagem, à gestão e às operações processuais da organização. Trata-se de um processo preventivo”, salienta o executivo.

A Run2Biz tem, em sua carteira de clientes, órgãos e empresas como Ninecon, Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, Sebrae de Minas Gerais, Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Instituto do Câncer Infantil e Pediatria Especializada, entre outros.

E mais novidades devem vir por aí. Até o fim do ano, a Run2Biz entregará ao mercado uma grande surpresa, com robôs que tomam decisões. “Por exemplo: recentemente, uma grande empresa do segmento de bebidas teve um problema com uma das esteiras de produção de engarrafamento, que, do nada, travou. Resultado: as garrafas caíram e quebraram. Por quê? Porque não havia ali um sistema de automação que identificasse que o processo estava fora de seu curso normal. Foi necessário que um funcionário constatasse e, posteriormente, parasse a atividade daquela esteira. Mas aí o prejuízo já havia sido causado”, conta Emauri, salientando que a hiperautomação e os bots integrados a dispositivos IoT que estejam na linha de frente evitam adversidades como esta. “Já é possível o computador tomar decisões mais rápidas, sem a necessidade da intervenção humana. E com custos bem menores às empresas do que os prejuízos causados pela ausência dessas soluções”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here