A pandemia de Covid-19 mudou empresas e pessoas ao redor do mundo e o setor imobiliário foi um dos mais afetados com a limitação do contato social. A tradicional visita aos imóveis junto com os corretores é uma ação que ficará cada vez mais difícil de ser realizada.

É nesse ponto que a realidade virtual está transformando o setor imobiliário, economizando tempo e dinheiro para os agentes e clientes, aumentando a eficiência e o engajamento, reduzindo as visitas pessoais às propriedades, ajudando os agentes a ganhar mais clientes e diminuindo as barreiras à venda de propriedades na internet.

Para se ter uma idéia, de acordo com a empresa de analistas de tecnologia TelSyte, a penetração da realidade virtual atingirá 25,5% dos domicílios até 2021. É evidente que o mercado imobiliário de realidade virtual chegou para ficar. Aqueles que não adotarem a RV não perderão a participação de mercado.

Para o jornalista especializado em Realidade Virtual, Eduardo Sona, o tour virtual já vem fazendo a diferença na venda de imóveis ao redor do mundo: “pesquisa internacional apontou que 81% dos corretores consideram o passeio virtual como uma mudança importante no processo de venda dos imóveis”.

O jornalista aponta as 10 razões para as imobiliárias investirem na criação de passeios virtuais em imóveis, utilizando a realidade virtual.

Economia de tempo

Nada é tão valioso quanto o tempo. Graças à RV, a pesquisa e a revisão de uma nova propriedade podem se tornar um processo mais rápido. Nos passeios virtuais, não é necessário passar dias e horas visitando as propriedades. Compradores e corretores podem simplesmente usar o óculos de realidade virtual (headset VR) no escritório ou em casa a qualquer momento.

Economia de dinheiro

À primeira vista, a RV parece cara e de alta tecnologia, especialmente  os passeios virtuais com gráficos de qualidade e recursos comerciais. Mas as despesas provam valer a pena com a economia de materiais publicitários impressos ou online e na decoração do imóvel. A decoração e os móveis podem ser substituídos por modelos 3D, reutilizáveis em diferentes locais.

Engajamento emocional

Diferente da visualização de fotos tradicionais, os passeios virtuais oferecem imersão e sensação de presença realista. Não há pressa, apenas liberdade de exploração e interação para um espectador. Visualizar fotos ou vídeos não é como mover-se sozinho de uma sala para outra. Certamente ajuda a fechar o negócio, invocando o senso de propriedade.

Oferta mundial

A realidade virtual elimina distâncias. É por isso que desde que os primeiros passeios virtuais foram criadas, os corretores começaram a expandir sua base de clientes, não se limitando aos compradores locais. O mundo é mais cosmopolita e as pessoas estão se movendo de um lugar para outro, e até hemisférios. E a realidade virtual pode impactar a oferta e a demanda globais no setor imobiliário.

Sintonia com o público

A internet mudou a relação comercial do público brasileiro. Com uma população mais jovem, as pessoas adotaram a praticidade da internet em vários setores e a possibilidade de pesquisar, selecionar e adquirir um imóvel pela rede mundial não ficou de fora.

Efeito pandemia

Com a crise motivada pela COVID-19, as maiores empresas de compra e venda de imóveis do exterior detectaram que o passeio virtual é o caminho ideal para que um novo mercado surja após a pandemia. Já há diversos cases de sucesso de vendas de imóveis de luxo pela empresa inglesa Strutt & Parker, entre outras. Essa empresa foi a pioneira no uso da realidade virtual na Inglaterra e melhorou a experiência dos clientes na compra e venda de casas.

De acordo com a diretoria da empresa, a realidade virtual agrega valor à experiência de compra de propriedades ao trabalhar com investidores estrangeiros. Segundo ele, a RV é parte importante do processo de compra.

Essencial para novos lançamentos

Até hoje, todos os lançamentos de imóveis dependiam exclusivamente da montagem de uma casa modelo para apresentar o produto aos possíveis clientes. Os altos custos e as dificuldades que surgirão à partir da pandemia, farão com que as incorporadoras repensem essas ações. O passeio virtual de uma casa decorada, construída através de computação gráfica, com todos os detalhes, móveis e equipamentos pode ser enviado à um número maior de possíveis clientes. Neste caso, o envio de um óculos RV promocional de brinde é uma excelente ação de marketing.

Perspectivas de futuro

De acordo com pesquisas realizadas em 2019, 81% dos agentes imobiliários acreditam que a realidade virtual mudará a maneira como os empreendimentos serão planejados, comercializados e arrendados nos próximos 10 anos. Portanto, mãos à obra.

Protagonismo no mercado

O tour virtual de imóveis na base de dados de sua imobiliária fará com que sua empresa se destaque na concorrência. Ao oferecer essa opção aos possíveis compradores a empresa estará otimizando tempo, economizando recursos e ampliando a área de ação.

Custos baixos para implantar na sua empresa

Os valores das câmeras, óculos e plataformas de hospedagem de imagens em 360° cairam muito nos últimos 2 anos. Isso permitiu às imobiliárias montarem seus kits de desenvolvimento de realidade virtual e treinar sua equipe para produzir seus próprios passeios virtuais. Faltava apenas um curso completo, rápido e prático para esse treinamento.

Para atender a esse mercado com a formação de mão-de-obra especializada na produção de tour virtual, o jornalista criou o curso de Produção de Fotos 360° e Criação de Tour Virtual para Imobiliárias. No curso ele aborda os equipamentos necessários e elenca todo o processo para que as imobiliárias montem os passeios virtuais dos imóveis de suas carteiras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here