O presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet, o diretor-superintendente do Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), General Eduardo Castanheira Garrido Alves, e o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF, Gilvan Máximo, lançaram no início de outubro, o projeto VEM DF (Veículo para Eletromobilidade), em cerimônia realizada no Palácio do Buriti, sede do governo distrital. O evento contou com a presença do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa.

O VEM DF é um projeto piloto pioneiro de compartilhamento de veículos elétricos para frotas públicas. Iniciativa da ABDI, o projeto foi realizado em parceria com o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), que desenvolveu o software de compartilhamento com foco em uso para governos.

O evento contou ainda com a participação do presidente da Renault Brasil, Ricardo Gondo, e do diretor de Estratégias Corporativas da WEG, Daniel Godinho. “O objetivo da ABDI é divulgar soluções e promover o investimento em eletromobilidade, um dos alicerces estratégicos das cidades inteligentes”, afirmou o presidente da ABDI, Igor Calvet.

Ação integrante do projeto Cidades Inteligentes coordenado pela Agência, o VEM DF é a tecnologia mais madura testada e demonstrada no Living Lab de Cidades Inteligentes, um ambiente de testes e demonstrações que funciona em Foz do Iguaçu, no Paraná. O Living Lab resultou de um convênio feito entre ABDI e PTI, em 2018.

Eletromobilidade no Distrito Federal

Em maio deste ano, um acordo de cooperação assinado entre a ABDI, o PTI e o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), permitiu que o VEM DF começasse por Brasília, como o primeiro projeto de compartilhamento de veículos elétricos voltado para o transporte de servidores públicos.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF afirmou que o projeto faz parte da iniciativa do GDF de criar uma cidade inteligente. “A nossa intenção é possibilitar uso de energia limpa e renovável e economizar com combustível tradicional. Além disso, atrair frotas particulares, locadas ou por uso compartilhados de forma semelhante, seja por ente público ou privado”, disse Gilvan Máximo.

O VEM DF vai oferecer 16 carros elétricos do modelo Twizy, da marca Renault. Haverá um cronograma de entrega que se encerrará em dezembro de 2019.  Inicialmente, o GDF terá dois carros habilitados para fazer o transporte de servidores e, gradualmente, os demais carros receberão a instalação do software que permite o uso compartilhado. No evento, houve a entrega de 12 veículos, os outros quatro chegarão a Brasília até o final do ano.

O compartilhamento dos carros elétricos será viabilizado por um software (MoVe), desenvolvido pelo PTI, que permite reservar os veículos disponíveis e acompanhar sua localização. O aplicativo rastreia o automóvel, monitora a velocidade, a carga de bateria, as rotas percorridas, além de outras informações. Os carros serão desbloqueados com cartões dos servidores cadastrados no sistema.

“Na área da Itaipu temos um projeto semelhante, que já foi validado e deu certo. Em Brasília, não deve ser diferente”, destaca o diretor-superintendente do PTI, General Eduardo Castanheira Garrido Alves, acrescentando que o Parque tem o papel de “promover tecnologias sustentáveis e contribuir para tornar as cidades mais inteligentes”.

Para garantir o carregamento dos veículos, serão instalados por todo o Distrito Federal 35 eletropostos (pontos de recarga) fabricados pela WEG. Os eletropostos serão gratuitos e de uso coletivo, ou seja, poderão ser  utilizados por qualquer carro elétrico, de qualquer montadora. A iniciativa visa a incentivar o uso desse tipo de veículo pela população em geral. O investimento da ABDI nos carros e eletropostos é de R$ 2,1 milhões.

“Os veículos elétricos são uma tendência mundial, e ter estações de recarga adequadas para todas as necessidades será indispensável nesse novo cenário”, enfatizou o diretor-superintendente da WEG Automação, Manfred Peter Johann.

Os veículos serão cedidos ao governo distrital em forma de comodato, com cláusulas sobre operação, manutenção, taxas e seguros. Brasília tem vantagens para o uso de carros elétricos: o relevo predominantemente plano, que reduz o consumo de bateria, a temperatura favorável e a tensão de 220 volts, dispensando adaptações para a instalação dos eletropostos.

“Para a Renault, é um grande privilégio participar do lançamento deste importante projeto. O VEM DF certamente será referência em eletromobilidade no Brasil”, afirmou o presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo.

Em princípio, o VEM DF terá uma rota restrita à Esplanada dos Ministérios e sedes dos órgãos da administração do DF. Os veículos elétricos têm autonomia de até 100 Km e atingem a velocidade de até 80 Km/h.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here