As tecnologias digitais estão começando a mudar fundamentalmente a maneira como as pessoas compram carros, com isso, os fabricantes e revendedores estão começando a pensar mais cuidadosamente sobre onde investir para elevar e melhorar a experiência do cliente.

Por conta dessa situação, muitas empresas do setor de automóveis nos Estados Unidos estão fazendo investimentos significativos em uma variedade de tecnologias digitais, desde guias de produtos baseados em tablets até ativos e aplicativos habilitados para realidade virtual (VR) para melhorar o engajamento do cliente no showroom floor.

Afinal, criar uma experiência on-line verdadeiramente envolvente que estimule as pessoas a visitar um local de varejo físico, pode ser mais difícil do que parece. Mas o fato de estar pouco digitalizadas pode ser uma boa notícia, já que significa que há uma grande oportunidade para que marcas e distribuidores criem uma experiência digital diferenciada por meio de seus sites.

Ideias úteis que podem ser adaptadas à indústria automobilística, além de serem obtidas por setores, como eletrônicos de consumo e varejo on-line, que possuem um histórico comprovado de geração de afinidade com a marca. E, assim, construir uma ponte forte que possa incentivar uma mudança contínua do mundo digital para uma experiência de compra física deve ser um alvo importante para o investimento.

Os investimentos digitais projetados para agilizar processos, como a criação de um fluxo contínuo de informações de clientes em vários sistemas de revendedores e documentos remotos de “assinatura eletrônica”, podem elevar a experiência geral de compra.

Muitas pessoas que compram o próximo veículo ainda não adotaram totalmente as ferramentas de vendas digitais, um fato que as montadoras e os revendedores devem reconhecer.

Para se ter uma ideia, 80% dos compradores de veículos dos EUA avaliam as conversas com os vendedores como o canal de informações mais útil, seguido de folhetos impressos e folhas de especificações.

Tablets, quiosques interativos e fones de ouvido de realidade virtual ainda não são vistos como úteis até mesmo em um showroom. Essa preferência por ferramentas de informações “tradicionais” pode ser causada por vários fatores, incluindo uma base de consumidores que ainda não entende completamente os tipos de experiências de usuário aprimoradas que essas tecnologias podem criar.

A transformação digital não é fácil de decifrar – vários aspectos do processo de compra de veículos podem ser difíceis de “digitalizar”. Até porque, 70% dos compradores indicam que preferem interações pessoais na concessionária.

Além disso, quase dois terços dos compradores indicam uma preferência em conduzir negociações de preços pessoalmente para garantir o melhor negócio. Essas respostas implicam que os compradores de automóveis ainda precisam imaginar um futuro totalmente digital para a experiência de compra de veículos. Também pode explicar muito porque a onda de compras on-line que está assumindo muitos subsetores de varejo ainda não afetou totalmente a maneira como os veículos são comercializados.

Dito isto, 60% dos consumidores americanos estão pelo menos “interessados” no conceito geral de comprar seu próximo veículo diretamente de um fabricante por meio de um processo on-line. Este deve ser um alerta para os concessionários de automóveis que, apesar de algumas reservas atuais, a expectativa de uma experiência de compra completamente digital pode estar mais próxima do que eles pensam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here