Você já parou para pensar em como a Internet das Coisas (ou The Internet of Things) tem se tornado tão elegante e fashion ultimamente? Até há alguns anos atrás, era praticamente impossível pensar em combinações como tecnologia e roupas, mas hoje, está se tornando até difícil não usá-las.

Isso porque, atualmente, estima-se que há cerca de 10 bilhões de roupas inteligentes, acessórios e calçados que mantêm-se conectado à Internet. Entre vários benefícios e comodidades, encontrar as suas peças perdidas estão entre as benfeitorias da tecnologia.

Afinal, é muito chato você querer usar uma roupa, revirar o armário e não encontrá-la, não é? Normalmente, a decisão tomada por muitos, nesse caso, é trocar o figurino e optar por outras peças de fácil localização.
Agora, com a IoT nas roupas, fazer essa mudança repentina no seu vestuário não será mais necessário.

Esse tipo de criação na indústria da moda já é bem frequente e deve se tornar cada vez mais comum nos próximos anos. As marcas mais famosas e conhecidas mundialmente são as que mais têm apostado nesse tipo de tecnologia.

Criar uma roupa que possui identidade única e que salva as características de seu novo dono, pode se tornar um marco na nova era digital. Isso porque as identificações ficam todas salvas na Nuvem, sendo quase impossível plagiar os dados da pessoa.

Além de ser uma inovadora tecnologia, é também uma grande segurança, tanto para a marca quanto para quem compra.

É claro que há ainda muitas limitações no uso das tecnologias nas roupas que dependem do seu fabricante/marca.

Mas nada impede de que, em breve, haja todo e qualquer tipo de tecnologia em todas as peças do vestuário, acessórios e sapatos que você for vestir.

Provavelmente, serão esses os futuros diferenciais entre as marcas. Possuir um sapato que calcula quantos passos foram dados ou que possuem o próprio localizador, para quando os perdermos.

Com certeza, fabricar roupas inteligentes será o objetivo de muitas empresas no futuro. Elas já estão correndo contra o tempo em busca de mais inovações.

A meta dessas empresas não é fabricar os vestuários em grandes quantidades, mas sim, quantas e quais tecnologias irão inserir em seus produtos com capacidade digital.

Embora pareça um resultado abstrato, as empresas já visam a capacidade de tornar o vestuário interativo, informativo e personalizado para os consumidores em grandes quantidades.

E o mais interessante é que essa inteligência não será somente para os consumidores pois, saber a satisfação do seu cliente e hábitos costumeiros podem aumentar as chances da empresa de produzir um novo produto que fidelize seu cliente.

Pesquisadores acreditam que grande parte das roupas inteligente já criadas, foram feitas com o intuito de chamar a atenção e despertar a curiosidade do comprador. Mas poucas são realmente relevantes para a população.

Afinal, as pessoas ao adquirirem uma mercadoria gostam de saber como ela funciona. Sem isso, de nada adianta o produto. Para esses pesquisadores, as roupas digitais devem deixar claro como elas funcionam e são armazenadas.

Murphy, um dos pesquisadores afirma que os clientes querem objetividade ao comprar um produto. Ele afirma que há inúmeras procuras de vídeos no YouTube em que se buscam informações sobre como utilizar o produto, local de origem das peças e, também, como descartá-los ou reciclá-los corretamente, quando necessário.

Vantagens para as marcas e para os clientes

Para as marcas, possuir uma roupa ou um acessório inteligente pode ser muito vantajoso. Isso porque além de calcular a satisfação do cliente com o uso de seus produtos, o consumidor tem a garantia de que é original.

Assim, o consumo e comercialização de produtos imitadores das marcas podem deixar de existir, garantindo segurança para a empresa e para quem compra. A empresa terá a sua marca garantida e o cliente terá a certeza de estar usando um produto de qualidade.

As empresas gastam milhões de dólares para detectar e parar empresas que fraudam seus produtos. Contudo, é muito difícil de localizá-las, uma vez que podem possuir um barracão para a confecção ou uma simples garagem.

Já com os produtos inteligentes, rastrear os seus produtos originais e buscar por fraudes torna-se uma tarefa muito mais simples.

E como mencionado, o uso dos dados dos consumidores pode ajudar na hora da fabricação. Afinal, sabendo quais são os gostos e hábitos dos clientes, torna-se muito mais fácil criar novas peças, com muito mais chances de agradar seus consumidores potenciais.

As roupas IoT

Para Murphy, o número de 10 bilhões de produtos inteligentes já é um valor “semicontado”. Isso porque há muitos outros já sendo comercializados que passam despercebidos, como: geladeiras, TV’s, ar condicionados, relógios com pagamentos virtuais, chuveiros e etc.

Sem contar os tantos produtos que iniciam o nome com “smart” que estão disponíveis no mercado já há alguns anos.
Contudo, ainda há muito a ser inventado e consumido. O que não pode acontecer, é desacreditar de que esses produtos inteligentes irão existir.

Afinal, em um mundo tão globalizado e altamente tecnológico como esse em que vivemos atualmente, está cada vez mais difícil de dizer o que pode ou não ser inventado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here