Quando se joga xadrez, deve-se pensar em vários movimentos antecipadamente. Isto significa que sempre que mover uma de suas peças, você deve estar antecipando os possíveis movimentos que seu oponente fará em resposta, e o que você fará em resposta aos próximos movimentos do seu oponente.

Como em cada estágio há múltiplas possibilidades, os possíveis cenários que você precisa manter em sua cabeça a qualquer momento começam a multiplicar rapidamente. E, no entanto, para cada cenário, é imperativo poder olhar para todos os cenários em sua mente e considerar todos os perigos e oportunidades que se apresentam. De forma parecida, é assim que funciona o planejamento de logística.

Agora, vamos dizer que em vez de um jogo de xadrez padrão, você está jogando em um tabuleiro que continua se expandindo em mais e mais quadrados. À medida que o quadro se torna maior, surgem novas regras que só podem ser aplicadas em certas partes do quadro.

Em uma cadeia de suprimentos moderna cada vez mais globalizada, esse conjunto de xadrez em expansão pode ser a melhor metáfora. À medida que as rotas comerciais proliferam e novas fontes de dados entram em ação, uma tarefa já complexa torna-se ainda mais desafiadora. O que os gerentes modernos da cadeia de suprimentos e de logística podem fazer para lidar com a complexidade cada vez maior da logística moderna?

Melhore suas previsões

Vamos tirar um segundo para fazer uma pergunta crítica: qual é a principal problemática para os gerentes da cadeia de suprimentos? Em parte, torna-se mais difícil prever o resultado de qualquer decisão, o que significa que interrupções (na forma de eventos inesperados) são mais prováveis ​​de ocorrer para atrapalhar seus planos.

A maneira mais direta de lidar com isso é lidar com previsões antecipadas e melhorá-las com análises preditivas avançadas. Ao aproveitar seus dados operacionais existentes em fluxos de trabalho analíticos, você pode criar previsões que representem a crescente complexidade do mercado e desenvolver planos que reflitam suas expectativas baseadas em dados.

Isso diminui a probabilidade do inesperado (embora, é claro, não o elimine por completo), resultando em menos interrupções.

Assuma o controle de seu gerenciamento de capacidade

Como o número de rotas de comércio e os principais centros de transporte continuam a proliferar, é crucial lembrar que o  planejamento começa em casa. Um mercado mais global significa que a demanda é mais globalizada e, portanto, mais complexa – porque nem todos os pedidos são criados iguais, geograficamente falando.

Por essa razão, é crucial partir de uma posição de controle e compreensão dentro de sua própria organização. Especificamente, você precisará determinar quais são seus níveis máximos de capacidade (seja para encontrar o gargalo em suas linhas de produção ou calcular sua capacidade total de frete) e examinar as maneiras pelas quais esses níveis mudam com base na localização do cliente e outros requisitos.

Obtendo esse nível de percepção e controle sobre suas próprias operações, você pode ter certeza de que não está sobrecarregando (ou subutilizando) sua capacidade, garantindo que você não se coloque em uma posição em que as entregas pontuais se tornem impossíveis.

Integração, Integração, Integração

Acima, discutimos as maneiras pelas quais o aumento da complexidade pode diminuir a previsibilidade, levando a interrupções. O outro problema com maior complexidade é a ineficiência.

Pense de novo na nossa metáfora do xadrez: mesmo que você não esteja cortejando ativamente a interrupção, quanto mais opções você tiver em cada etapa da cadeia de valor, menos provável é que você esteja dando a cada rota a devida consideração.

Isso significa que você pode estar deixando de identificar as rotas mais eficientes e rentáveis, porque existem muitas opções possíveis. É aqui que entra a integração da cadeia de suprimentos. Pode parecer paradoxal resolver uma situação que envolve muitas opções, integrando mais dados em seu fluxo de valor, mas na verdade, quanto mais dados você tiver, mais sucesso poderá analisar suas melhores opções.

Isso pode assumir a forma de processos analíticos prescritivos (que podem ajudar a descobrir áreas de desperdício contínuo) e a maior agilidade que frequentemente surge como resultado da visibilidade E2E (devido à visão mais abrangente de toda a cadeia de valor que ela fornece).

Use os cenários “what-if”

Ok, digamos que você implementou fluxos de trabalho analíticos avançados e aumentou seus níveis de visibilidade para obter um melhor controle sobre toda a sua cadeia de valor global. De que outra forma você pode aproveitar essa nova visibilidade?

Essencialmente, a análise dos cenários permite modelar toda a sua cadeia de suprimentos digitalmente, a fim de simular os efeitos das alterações propostas ou possíveis interrupções.

Em contextos anteriores, menos complexos, isso poderia ter sido o tipo de coisa que os planejadores poderiam fazer manualmente – uma linha de manufatura simples poderia responder de maneira bastante óbvia à introdução de uma nova máquina ou um novo cronograma – mas o moderno cenário de logística é muito vasto e variado para estimativas feitas em papel.

Sua rede de transporte é vasta e de longo alcance. Como responderia se você removesse um determinado hub ou cross dock? Que tal adicionar um armazém? Ao fazer essas determinações com mais certeza, você continua evitando os efeitos de interrupções inesperadas.

Implemente dados em tempo real

A outra coisa que os planejadores precisam enfrentar em uma cadeia de suprimentos cada vez mais global? Rapidez. As coisas se movem com mais velocidade, as situações podem mudar em instantes e os planejadores precisam ser capazes de lidar com isso.

A complexidade de uma dada situação só aumenta à medida que o tempo passa sem que sejam tomadas medidas. Por essa razão, a integração em tempo real pode ser uma proposta de grande valor agregado para empresas que buscam diminuir a complexidade em suas operações logísticas.

Quem monitorar situações em tempo real, poderá reagir e fazer ajustes mais rapidamente, preservando o máximo possível de valor diante de situações perigosas. Na verdade, você pode não apenas ser reativo, mas proativo, identificando armadilhas potenciais com muita antecedência e realizando ações para estabilizar suas operações logísticas. Dessa forma, reduz-se não apenas a complexidade, mas também o risco, resultando em mais entregas no prazo e menos obstáculos indesejados.

Fonte: Blog Flexis

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here