Uma dupla de artistas formada por um bailarino e um robô subiu ao palco pela primeira vez no Kulturhuset Stadsteatern, em Estocolmo. O renomado coreógrafo e bailarino Fredrik “Benke” Rydman contracenou com um robô industrial de dois metros de altura e 900 kg.

O dueto inovador, ao som de uma trilha sonora original, é um reflexo singular do papel em constante mudança dos robôs, da tecnologia de automação e da inteligência artificial na sociedade. O robô “bailarino” é um dos maiores e mais robustos modelos industriais da ABB. A empresa de tecnologia é pioneira em automação industrial, robótica, redes de energia e produtos de eletrificação.

“Benke e a ABB mostraram o futuro da colaboração entre humanos e robôs”, disse Sami Atiya, presidente global da divisão Robotics & Motion da ABB.

“Juntos, nessa linda e poderosa apresentação, artistas e engenheiros demonstraram até onde a tecnologia chegou. Eles nos deram uma pequena amostra das coisas interessantes que estão por vir. Com esse espetáculo, podemos visualizar um futuro de domínio simples e intuitivo das complexas e sensíveis interações entre humanos e robôs”, completou.

A natureza em transformação do robôs colaborativos

No passado recente, robôs como o IRB 6620, que contracena com Benke, teriam sido isolados atrás de cercas de proteção. Seriam estabelecidas zonas de separação para impedir que as pessoas chegassem perto demais enquanto o robô realizava seu trabalho sozinho.

Graças a uma nova geração de tecnologias de automação e Inteligência Artificial, hoje, as pessoas e os robôs estão trabalhando com segurança. Muitas vezes em estreita colaboração e proximidade.

Benke e uma pequena equipe de engenheiros da ABB trabalharam juntos para programar o IRB 6620 para o espetáculo. Os robôs colaborativos da empresa são programados por meio do sistema conhecido como “lead through programming”. Com ele, as pessoas guiam os robôs manualmente na amplitude de movimento necessária. As ações são registradas em um tablet inteligente comum.

No passado, a programação desse tipo de atuação levaria meses para ser concluída e exigiria treinamento técnico especializado.

Erik Hellström, um dos engenheiros que ajudaram a preparar o espetáculo, afirmou: “Criar uma conexão perfeita com a música foi difícil. Mas trabalhando em conjunto com Benke, fizemos avanços incríveis. É notável como o IRB 6620 parece realmente sentir tanto a música quanto o bailarino”.

Robô Yumi regeu orquestra na Itália

A programação usada neste caso é do mesmo tipo da que possibilitou, no ano passado, que outro famoso robô colaborativo de braço duplo chamado YuMi aprendesse rapidamente os movimentos complexos e elaborados, necessários para conduzir uma orquestra sinfônica em uma apresentação ao vivo na Itália, com o famoso tenor Andrea Bocelli.

Os robôs da ABB não são estranhos ao público dos palcos. Além de conduzir uma orquestra, eles já colaboraram com Lady Gaga e nos shows de Bon Jovi e deadmau5.

Eles também, recentemente, tocaram a campainha de abertura na bolsa de valores NASDAQ, em Nova York. Também resolveram um Cubo de Rubik para uma plateia de espectadores. Além de ajudarem um paciente com esclerose múltipla a jogar xadrez.

Fonte: ABB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here