O baixo índice atual de automação é um dos grandes desafios dos fabricantes de autopeças. Eles terão de vencer algumas barreiras para implantar com sucesso os conceitos da Indústria 4.0. Foi o que mostrou o gerente de projetos da empresa Roland Berger, Mauro Toledo, durante o 6º Fórum IQA da Qualidade Automotiva. O evento realizado no dia de 10 de setembro, em São Paulo.

“No Brasil há uma média de 10 robôs para cada 10 mil operadores, enquanto na Alemanha essa proporção é superior a 300 robôs/10 mil”, afirmou Toledo. Segundo ele, outro problema é a falta de uma infraestrutura de comunicação eficiente. 

“Os Estados Unidos têm cobertura 4G em 77% de seu território, enquanto no Brasil estamos em 44%”, recorda ele. A falta de pessoal qualificado para lidar com a implantação e desenvolvimento desse novo momento da automação industrial é outro entrave.

“O Brasil tem poucos profissionais aptos a lidar com as diferentes tecnologias da Indústria 4.0. Ele ocupa o 126º lugar em qualidade de educação. Além de estar em 114º em disponibilidade de engenheiros. Por isso, os fabricantes terão de exercer papel ativo na formação de pessoal”, afirma o gerente de projetos da Roland Berger.

Para Mauro Toledo, gerente de projetos da Roland Berger, cobertura 4G no País ainda é pequena
O executivo ressalta a necessidade urgente de implantação dos conceitos da Indústria 4.0. Um bom começo são projetos piloto, sugere ele.

Para o executivo, dessa forma, a integração dos sistemas de Tecnologia da Informação (TI) torna-se outro ponto importante. Assim como o envolvimento da direção das companhias. Na sua opinião, o setor de autopeças é um dos que têm mais a se beneficiar com as novas tecnologias.

“O assunto deve fazer parte da agenda do CEO das empresa do setor. A Indústria 4.0 tem de ser administrada de cima para baixo, com compromisso claro dos executivos”, diz Toledo.

Fonte: Automotive Business

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here