A agricultura é, talvez, uma das mais antigas formas de produção de alimentos. Desde que o homem dominou a técnica de plantios, vem desenvolvendo formas para produzir mais e melhor. Porém, só agora, em pleno século 21, é que os sistemas de cultivo tomaram novos rumos e, com o avanço das tecnologias, hoje se fala em Agricultura 4.0, um dos temas que será debatido durante o Fórum Brasil África 2019, que acontecerá em São Paulo, entre os dias 12 e 13 de novembro, no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

O evento é promovido pelo Instituto Brasil África, uma entidade privada, sem fins lucrativos, com sede em Fortaleza, no Brasil e em Acra, capital de Gana. Presidido pelo Prof. João Bosco Monte, o objetivo do IBRAF é garantir uma aproximação sócio-político-cultural entre o Brasil e o continente africano, com foco na promoção do desenvolvimento sustentável, da paz, da cidadania, dos direitos humanos e da democracia.

A tecnologia a favor do campo 

As tecnologias disruptivas da Quarta Revolução Industrial já estão afetando a agricultura. Desde o uso de blockchain para rastreabilidade de proteína animal até a aplicação de drones para mapear e semear a terra, essas novas técnicas podem aumentar a produtividade do campo e dos agricultores, bem como fornecer produtos mais seguros e frescos para o consumidor final.

E é com este olhar que o Fórum trará um importante debate em torno de como a Agricultura 4.0 pode favorecer a produção agrícola, trazendo oportunidades e desafios.

Mas como isto funciona? A Agricultura 4.0 está apoiada em quatro pilares: gestão baseada em dados, produção a partir de novas ferramentas, sustentabilidade e profissionalização.

Além disso, há uma convergência entre o digital, hardwares e biotecnologia que, unidos, promovem benefícios centrados no ser humano. E é justamente esse conjunto de tecnologias integradas que vem criando uma verdadeira revolução no campo.

O Brasil é um dos destaques no cenário mundial de Agricultura 4.0. Nos últimos anos, agritechs vem surgindo e, através delas, novas soluções são lançadas. Atualmente, 45% das companhias do setor já adotam muitas dessas tecnologias. Porém, ainda há a falta de conectividade no campo.

E embora tenha havido um crescimento expressivo entre 2008 e 2014, chegando  a 24% o número de internautas no campo, apenas 34% dos domicílios têm sinal de internet.

Esta é uma barreira da expansão da Agricultura 4.0. Se não houver investimentos em infraestrutura, todas essas soluções e ferramentas ainda ficarão nas mãos de apenas uma porção do setor.

Outra dificuldade, ligada à falta da cobertura de sinal, é a capacitação da mão de obra, que precisa se especializar a fim de ter conhecimento no emprego de tecnologias.

Todas essas técnicas vêm atuando sobre tomadas de decisões importantes, tais como controle de pragas, melhores épocas para novas safras, minimização de riscos diante de fenômenos climáticos, e até mesmo controle financeiro e fluxo de caixa, e monitoramento de perdas. Um dos principais aliados é, portanto, a Análise do Clima, tendo na sua frequência em leituras um dos pontos fundamentais para todas as atividades agrícolas.

O Fórum Brasil África 2019 contará com as participações de aproximadamente 250 pessoas. Já estão confirmados importantes nomes de autoridades e empresários brasileiros e africanos.

Para mais informações sobre o IBRAF, acesse https://ibraf.org/ e para mais informações sobre o Fórum Brasil África 2019, acesse: https://forumbrazilafrica.com/pt/

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here