As disrupções do ano passado iluminaram os pontos fracos globais de supply chain e enfatizaram a necessidade de torná-lo mais resiliente. A pandemia de Covid-19 e o bloqueio inédito do Canal de Suez destacaram ainda mais a necessidade da agilidade na cadeia de suprimentos. A inteligência de dados é essencial para fornecer a resiliência e a agilidade para seguir em frente.

Hong Kong, estrategicamente localizada no coração da Ásia, é conhecida há muito tempo como um dos centros logísticos mais importantes do mundo. As indústrias de transporte e logística constituem um dos quatro principais pilares de negócios de Hong Kong, contribuindo com cerca de 22% do PIB e empregando 20% da força de trabalho.

Mas, para se manter competitivo e na vanguarda no mercado da Ásia-Pacífico, Hong Kong deve continuar a desenvolver suas capacidades logísticas. As tecnologias digitais e a análise de dados podem desempenhar um papel fundamental na transformação do supply chain, ou cadeia de suprimentos em português, para superar os desafios que vimos no ano passado e outros que virão.

Tempos desafiadores

Um novo relatório da Orange, o Real-Time Intelligence and the Future of Supply Chains, descobriu que as cadeias de suprimentos foram reduzidas pelas consequências da pandemia em 40% das organizações multinacionais. Assim, 83% das empresas disseram que estão mais conscientes dos riscos associados à interrupção do supply chain do que há um ano.

Hong Kong tem sido um foco de inovação e possui as habilidades e o conhecimento para modernizar as competências tradicionais da cadeia de suprimentos. Ferramentas digitais como Inteligência Artificial (AI) e Machine Learning (ML) podem ajudar a transformar a cadeia de suprimentos, melhorar a previsibilidade e a agilidade para torná-la mais resiliente.

Inserindo inteligência no supply chain

A Inteligência Artificial e o Machine Learning aprendem continuamente com os dados de supply chain para atualizar sistemas automatizados de forma dinâmica. Eles ajudam a reduzir o tempo necessário para desenvolver e implantar novos modelos de processo, o que significa que o gerenciamento de processos da cadeia de suprimentos cresce muito mais rápido e com mais eficiência. Além disso, permitem previsibilidade, ajudando as empresas a adequarem a oferta à demanda.

Isso é algo que Hong Kong precisará desenvolver se quiser manter sua posição como líder mundial em logística. Compreender os níveis de demanda e as formas de adaptação em caso de interrupção é uma ferramenta poderosa e algo que a AI e o ML podem oferecer.

A hiperautomação é outra tendência digital que transformará o Supply Chain. Ela combina AI, ML e a automação de processos robóticos (RPA) para tornar as cadeias de suprimentos mais resilientes. A RPA automatiza as tarefas muito repetitivas de supply chain para reduzir erros e liberar os profissionais para tarefas mais complexas.

Além disso, a RPA e a AI complementam outras tecnologias para melhorar as decisões de negócios, analisar dados e prever riscos. A previsibilidade é algo que será central para que a cadeia de suprimentos avance, minimizando possíveis erros e tornando-a mais eficiente e resiliente.

A cadeia de suprimentos do futuro será alimentada por dados, permitindo visibilidade em tempo real combinada com previsões altamente precisas de desempenho futuro. Uma pesquisa da Harvard Business Review Analytics descobriu que digitalizar dados de fornecedores é uma prioridade para líderes de negócios em 2021. No entanto, nosso relatório descobriu que apenas 45% das organizações estão usando insights de dados em tempo real para permitir uma melhor tomada de decisão em suas cadeias de suprimentos.

Para resolver problemas urgentes de supply chain, leia nosso relatório de pesquisa exclusivo sobre como as multinacionais estão acelerando seus programas de digitalização e inteligência artificial (IA).

Artigo de Edmund Yick, gerente geral da Orange Business Services em Hong Kong e Taiwan

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here