Tecnologias de automação, troca/busca de dados, Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Big Data, Machine Learning e Cloud Computing são alguns exemplos de tecnologias que, juntas, dão base à Indústria 4.0. Tudo isso pode e deve ser usado na otimização de processos e por consequência, na geração de negócios. Embora os benefícios pareçam muitos, algumas empresas ainda não têm a ampla compreensão de como usar a tecnologia para trabalhar a seu favor.

Existe um fator hoje em dia, essencial para o Business Intelligence, que é a mineração de dados. Essa prática consiste em explorar dados em busca de padrões que possam dar à empresa uma vantagem significativa nas suas estratégias de mercado. Isso até pode ser feito manualmente, mas o trabalho torna-se maçante e demorado. Em busca do aumento de produtividade, precisão, segurança e qualidade nos processos, os robôs de busca e coleta de dados (conhecidos como crawlers ou scrapers) têm se popularizado entre grandes empresas.

No contexto em que o big data está presente na rotina de diversos setores de negócio, os crawlers são essenciais para a captura e análise de grande volume de dados, e podem otimizar processos manuais, deixando a busca por informações muito mais rápida e prática, além de ajudar nas estratégias e tomadas de decisões.

A era dos dados e como usá-los a favor do seu negócio

Coleta de preços

Um exemplo são as estratégias de pricing. É o caso da coleta de preços, de forma automatizada. Com a ajuda da mineração de dados, uma empresa consegue precificar seus produtos comparando preços de outras organizações, a tempo de aumentar a competitividade com a concorrência. Mas não para por aí.

O uso de dados pode ser aplicado ao monitoramento de preços em e-commerces, busca de informações complementares de produtos de fornecedores, estudo de preços e valorização de imóveis (visando expansão de negócios), gestão de risco em compliance, verificação de certidões negativas e de documentos de veículos e motoristas antes de liberar fretes, entre outras métricas, que variam de acordo com a necessidade da empresa.

“A coleta, organização e análise de dados contribuem para tomadas de decisão que impactam no futuro das corporações. Empresas que se dedicam regularmente à inteligência de mercado possuem uma importante vantagem competitiva. A razão para isso é a riqueza de dados obtidos, que resulta em insights essenciais e decisivos para o negócio”, observa João Drummond, CEO da startup Crawly , empresa pioneira no Brasil no uso de data mining, crawlers, scrapers e machine learning 100% de acordo com a LGPD e referência no país sobre o tema.

O executivo explica que com a evolução da inteligência artificial, os robôs estão cada vez mais inteligentes, buscando um volume gigantesco de dados em um curtíssimo espaço de tempo.

A tecnologia é hoje capaz de fazer além de coleta de preços, análise de fraudes, levantamento de certidões, processos judiciais, compliance, notícias, serviços, RPA, entre tantas outras possibilidades.

“Depois de coletar conteúdos estratégicos, organizamos e entregamos resultados confiáveis nos formatos mais adequados à necessidade da empresa, inclusive diretamente no seu software de preferência para análise de dados, como Power BI, Cognos, Tableau, e outros. O robô, que trabalha para a captação de dados, pode fazer muito pela sua empresa gerando retorno de investimento, economia de tempo e aperfeiçoamento das tomadas de decisões”, explica João.

A era dos dados e como usá-los a favor do seu negócio

Loft para venda e compras de imóveis

Um case sobre utilização de dados para geração de negócios é a Loft, plataforma digital que usa a tecnologia para simplificar a venda e compra de imóveis. João explica que para a empresa, a Crawly conseguiu extrair informações de vendas e locações de imóveis, incluindo informações geográficas e análise de áreas com maior volume de imóveis à venda, cruzando com dados demográficos do IBGE, atuando diretamente na estratégia de expansão de mercado.

“Os dados gerados pelos robôs passam da casa das dezenas de milhões, permitindo o acompanhamento em tempo real e uma análise muito profunda de como o mercado imobiliário funciona em diversas localidades, buscando não somente entender quantos são os imóveis disponíveis, mas também várias características de cada um, “tempo de prateleira” na venda e aluguel, informações sobre valores de impostos e registro imobiliário”, conta João.

Em tempos de pandemia, o ganho de agilidade é fundamental para manter o nível de performance das empresas, que têm sua demanda crescente, enquanto a capacidade de atendimento tem reduzido.

“A utilização da análise de dados de maneira estratégica, além de trazer melhor desempenho para a companhia ainda gera vantagem competitiva,” finaliza João.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here